o Plano do Louçã para a dívida pública


finalmente, um plano em condições:

1 - perdão de 100 mil milhões do passivo dos bancos. haircut que inclui os seus depósitos e obrigações, caro... pequeno aforrado.
2 - activação do fundo de garantia para todos os depósitos até 100 mil euros (é claro que o fundo só solve 1% das necessidades...)
3- todos nós ficamos sem dinheiro mas passamos a ser accionistas dos bancos (falidos, acho eu) e chamamos o BCE e o FMI, mas desta vez para fazerem bem as coisas.

ADENDA:
"Primeiro cobraram impostos até ao limite do tolerável. Quando o dinheiro dos outros se acabou, endividaram-se. Agora chegou a altura de não quererem pagar as dívidas. Gastar menos é que não é com eles"- José Manuel Fernandes

Sem comentários:

Enviar um comentário