janeiro chega com novos cortes e imposto. um resumo:


IVA:
taxa máxima sobe 0,25, fixando-se em 23,25%.

TSU:
a dos trabalhadores por conta de outrem sobe de 11% para 11,2%

ADSE:
passa de 2,5% para 3,5% (o TC permitiu que 50% desse aumento reverta para os cofres do Estado)

SALÁRIOS:
os corte nos salários acima dos 1500 euros brutos serão entre 3,5 por cento e 10 por cento (no entanto, o TC não permite que os cortes continuem a partir de 2016).

PENSÕES:
o Governo está a ponderar reduzir a carga fiscal sobre as pensões acima dos 1000 euros, ou repondo parte dos cortes operados pela contribuição extraordinária de solidariedade, à semelhança do que está previsto para os cortes de salários dos funcionários públicos ou a eliminação da contribuição extraordinária, repondo as pensões de forma integral em 2015.
se assim for, teremos:

- a partir de 1350 euros = taxa progressiva entre 3,5% e 10%,
- a partir de 4611 euros = taxa de 15% (antes aplicada a partir de 5030 euros).
- nos termos do Orçamento do Estado para 2014 atualmente em vigor, "em acumulação" com uma taxa global de 10%, aplica-se às pensões de valor superior a 3750 euros uma taxa de 15% sobre o montante que exceda 12 vezes o valor do Indexante dos Apoios Sociais (5030,64 euros), até 18 vezes esse valor. 

Sem comentários:

Enviar um comentário