em frangalhos


a paisagem política europeia não está animadora. quase todos os partidos europeus em quase todos os Estados-membros estão em forte perda em benefícios dos extremos. basta ver as discussões que se avizinham sobre a intenção da França de não cumprir, mais uma vez, os limites do défice em 2015, como se tinha comprometido, empurrando o objectivo para 2017 e levando a Itália consigo France and Italy push for fiscal leniency. uma espécie de anti-Declaração de amor de francês em Berlim ou o fim do eixo franco-alemão.

NOTA:
este verão o diário El Mundo publicou uma série de reportagens sobre o que designou como "La España del despilfarro”. são histórias inacreditáveis (que certamente se somam a outras nossas) mas estas podem conferir aqui:
Un puente a ningún sitio - 70 milhões de euros numa ponte... sem ligações:
El supositorio de oro - o Spa mais caro do mundo e hoje é apenas um amontoado de pó;
12 millones para poder esquiar en un secarral de Valladolid - o título diz tudo, certo?
El 'mejillón' de los 80 millones - um centro de congressos que só é utilizado 6% do ano;
Una burbuja de hormigón de 52 millones en plena Soria - o projecto frustado e abandonado de um Silicon Valley nas margens do Rio Douro....
 

Sem comentários:

Enviar um comentário