entre taxas e taxinhas...as previsões de outono da CE


a Comissão Europeia estima que o produto interno bruto nacional cresça 0,9%, este ano, e 1,3%, em 2015, antevê uma recuperação assente no consumo privado e no investimento e, no sentido contrário, um ligeiro abrandamento das exportações. nas finanças públicas, a expectativa é que o défice recue, mas que permaneça acima de 3% do PIB em 2015. o peso da dívida pública também deverá registar um ligeiro decréscimo de 2014 para 2015.

quanto à inflação, a CE prevê uma estagnação dos preços em 2014 e uma taxa de apenas 0,6% para 2015 (favorável para os consumidores, ao preservar o poder de compra, e para os aforradores pois tende a aumentar o rendimento real das aplicações financeiras). embora o recuo dos preços pareça favorável, se se tornar persistente, as consequências económicas de médio e longo prazo de um deflação podem ser nefastas. 

sobre o desemprego o INE já explicou que relativamente ao ano passado há menos 131 mil desempregados: no terceiro trimestre o desemprego em Portugal fixou-se em 13,1% (no trimestre homólogo de 2013 tinha sido 15,6%), mas a população desempregada é ainda de 688,9 mil pessoas.
A economia portuguesa
 
2013
2014
2015
PIB
-1,4
+0,9
+1,3
Consumo privado
-1,4
+1,6
+1,5
Investimento
-6,3
+1,9
+2,4
Exportações
+6,4
+3,6
+4,6
Taxa de desemprego
16,4
14,5
13,6
Taxa de inflação
0,4
0,0
0,6
Balança corrente (1)
-0,3
-0,2
+0,1
Saldo orçamental (1)
-4,9
-4,9
-3,3
Dívida pública (1)
128,0
127,7
125,1
Estimativas e previsões da Comissão Europeia
(1) Em percentagem do produto interno bruto

Sem comentários:

Enviar um comentário