“O problema grego é político. Não é a dívida"


a simpatia da coligação grega pelo regime de Putin é um ponto que une a esquerda radical e a direita nacionalista. até por isso (e não apenas pelo Euro) é muito recomendável ler Jorge Almeida Fernandes a interrogar-se sobre Para onde vai a Grécia de Tsipras? :
“O problema grego é político. Não é a dívida. É a reforma do Estado e da economia(...) Nos últimos 40 anos, os dois grandes partidos, o Pasok, do clã Papandreou, e os conservadores da Nova Democracia reorganizaram em larga escala as redes de patrocínio. Andreas Papandreou, no poder após 1981, construiu um "socialismo a crédito", escreve o historiador Nicolas Bloudanis. Impôs-se politicamente pela capacidade de arrancar fundos europeus para alargar a sua base clientelar. "Mas não é o único responsável: a direita é tão estatista como o Pasok. A classe política grega sempre confundiu dramaticamente rendimento e empréstimos.”

Sem comentários:

Enviar um comentário