É a falta de capital, estúpido!


“para la mayoría de nosotros que no pertenecemos al mundo occidental y, por lo tanto, no estamos sometidos a las categorizaciones europeas, el capital y el trabajo no son enemigos naturales, sino más bien facetas que se entretejen para formar un todo.”
Vem esta citação a propósito da passagem por Lisboa de Piketty e pertence ao economista peruano Hernando de Soto, um intelectual escolhido este ano pelo diário financeiro alemão Handelsblatt como um dos mais influentes do mundo. Foi publicado domingo no El Pais - "Los pobres frente a Piketty". Desta vez não estamos perante a descoberta de erros nas contas do economista francês ou de um ataque às suas preocupações com a igualdade, mas de uma crítica mais poderosa porque contesta a forma como foram recolhidos, tratados e analisados os dados recolhidos fora do mundo desenvolvido. De Soto considera que a análise de Piketty é “eurocêntrica” e que, olhando a partir daí, se percebe que o problema não está no capital, mas na falta de capital.

Sem comentários:

Enviar um comentário