Gregos, 20 ou 30 de Junho?


Vale a pena ler o Financial Times que descreve em pormenor este calvário com o desenho do calendário da Grécia desde hoje até à hora da verdade (será possível sonhar com o miraculoso acordo que entregará à Grécia mais 7,6 mil milhões de euros?)

Nem mesmo sabendo que as sondagens mostram que 84% dos gregos pretendem ficar no zona euro, a corrida aos bancos já começou e há quem diga que só no dia de ontem voaram mil milhões.

Alexis Tsipras, que hoje estará reunido com Vladimir Putin, continua a incendiar os ânimos. Fala em “pilhagem” e assume a responsabilidade de ser ele a dar “o grande não”. Varoufakis também não acredita que alguma coisa se resolva neste Eurogrupo. E Schaüble voltou a garantir que “a bola está do lado da Grécia”. Mais interessante, e inesperado, é o artigo publicado na segunda-feira, em que Olivier Blanchard, do FMI, se mostrou bastante mais pragmático: a solução exige decisões difíceis quer do lado dos credores quer do governo grego. Uns têm que prescindir da dívida e os outros vão ter que aceitar mais medidas de austeridade. Afinal de contas, alguém pediu o dinheiro emprestado e houve outro alguém que o emprestou.

Sem comentários:

Enviar um comentário