O novo Portas, "o prudente".

Assumiu que paga "um preço em compreensão" pelo revogar da demissão irrevogável, mostrou-se como número dois de Passos Coelho, sinalizou uma devolução "significativa" de IRS no próximo ano e prometeu uma nova legislatura concentrada nas questões sociais. A síntese está aqui

Sem comentários:

Enviar um comentário