Já achamos tudo normal. É tolerável ?

Passagem do comunicado do MP: “O Ministério Público promoveu a alteração da medida de coação, por considerar que, face à prova reunida desde a última reapreciação, se mostra reforçada a consolidação dos indícios, o que diminui o perigo de perturbação do inquérito”. Ou seja, Investigadores de José Sócrates aceleram acusação.

Em prisão domiciliária na  vivenda da sua ex-mulher (ou será que nos está a enganar mais uma vez?), escreve Rui Ramos, no Observador, We need to talk about Sócrates:  “A questão socrática é neste momento a mais grave questão política que se coloca à democracia em Portugal.” O seu argumento é que, sabendo nós o que tanto José Sócrates como Santos Silva já admitiram, parece que achamos isso normal e tolerável:
Portugal teve um primeiro-ministro e o PS um secretário-geral cujas despesas eram pagas ocultamente pelo administrador de uma empresa com negócios com o Estado. Isto pode ser uma questão judicial, se esse dinheiro tiver tido origem em actos de corrupção, mas deveria ser sempre, e em qualquer caso, uma questão política, para ser discutida politicamente. Noutros países, não seria normal nem aceitável. E aqui? Que diz o PS? Que dizem os outros partidos? Acham isto aceitável? Mais: acham isto normal? E se todos acham isto aceitável e normal, que devemos nós, os cidadãos, pensar de tudo isto – e deles?

Sem comentários:

Enviar um comentário