Não é uma coligação, não são acordos de legislatura, chamemos-lheacordos de emergência até Junho...

Os três documentos assinados ontem não são acordos sobre um programa, mas sim sobre medidas de emergência. Se o PR der posse ao Governo que António Costa lhe vai propor, serão vários os obstáculos que Costa vai ter pela frente. Aqui estão nove exemplos, numa viagem cheia de imprevistos. Mas avancemos para o que importa que é, como sabem, quanto vamos pagar: "os custos de desfazer", nomeadamente os negócios da TAP, EGF, concessões e barragens - tudo presente nos acordos assinados.

Sem comentários:

Enviar um comentário