A história de uma divergência orçamental 130 menor do que a anterior

José Sócrates em 2010: ficaremos “claramente abaixo dos 7,3% previstos” porque temos uma folga orçamental de 800 milhões de euros. Resultado: o défice real foi de 11,2%, a derrapagem foi de 3,9 pontos percentuais.

Costa em 2015: existe uma derrapagem de 46 milhões de euros, o equivalente 0,03% do PIB. Só fazendo aquilo que está previsto, que é não gastar mais do que está previsto, conseguiremos evitar um défice de 3,03% do PIB ajustando-o para 3,00%. 

E assim termina uma bonita história, cuja moral não se explica, de uma divergência orçamental que hoje nos indigna e é 130 vezes menor do que a que nos tinha sido legada pelo anterior governo em que Costa orgulhosamente participou.

Sem comentários:

Enviar um comentário