Desemprego: luz verde ao part-time

Quem está desempregado pode aceitar alguns trabalhos sem perder o subsídio. Quem tem rendimentos mais baixos (de um segundo emprego, por exemplo), no momento em que perder o emprego principal, não fica impedido de receber subsídio. Mas os rendimentos obtidos (na atividade independente, considera-se 75% dos ganhos) têm de ser inferiores ao subsídio de desemprego (mas o trabalho não pode ser prestado à empresa que o despediu, nem a uma empresa ou grupo empresarial com ela relacionado). 
Por exemplo: o desempregado recebia 1000 euros de subsídio e arranjou uma ocupação com uma retribuição mensal de 500 euros. O subsídio parcial será de 850 euros (1000 + 35% - 500). Logo, passará a ganhar 1350 euros mensais (850 + 500).
Assim que começar a fazer o part-time, deve comunicá-lo à Segurança Social e apresentar uma cópia do contrato com indicação da remuneração. Receberá o subsídio parcial enquanto durar o trabalho em part-time ou a atividade independente, mas só durante o período em que tiver direito ao subsídio de desemprego.

Sem comentários:

Enviar um comentário